Colapso no Pará. Faltam leitos e oxigênio no município de Faro

A comemoração pela chegada do primeiro lote de vacinas, nesta terça-feira (19), foi interrompida pela dura realidade de quem vive em área de alto risco de infecção.

O terror que os paraenses assistiram no estado vizinho chegou ao Pará. A primeira cidade a enfrentar colapso na saúde é o município de Faro, localizado na região oeste do estado, próximo à fronteira com o Amazonas. 

Ao todo, Faro possui 8 mil habitantes e 159 estão infectados. A alta de casos de Covid-19 e a carência de infraestrutura e insumos básicos levaram ao limite o serviço de atendimento do município, que está dependendo de ajuda das cidades vizinhas e doações. 

O epicentro da doença é o distrito de Nova Maracanã. Com apenas 1.200 moradores, o local soma 80% dos casos. Em menos de 24 horas, seis integrantes da mesma família morreram porque a Unidade Básica de Saúde do distrito não tinha quantidade suficiente de cilindros de oxigênio. 

O secretário de Governo da Prefeitura de Faro, Thiago Azevedo, chegou a dizer que a cidade está com o estoque de oxigênio zerado e as equipes de saúde estavam dividindo 11 balas para 37 pacientes. Ele também relatou que leitos estão sendo improvisados em cadeiras, bancos, mesas e até cadeira de uso odontológico.

O difícil acesso é outro desafio enfrentado por quem vive no município. Apesar de pertencer ao território paraense, a cidade fica há 900 km da capital do estado, por isso, depende dos serviços de Manaus, há 380 km, para ter oxigênio.

Foto: Redes Sociais

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.