Período Chuvoso: saiba quais as doenças mais comuns da época

O Estado do Pará está passando pelo período mais chuvoso do ano e as chuvas e alagamentos podem levar à proliferação de diversas doenças, dentre elas a Leptospirose, Hepatite A, Febre Tifóide e Micoses.

Adriana Tapajós, Diretora de Endemias da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) explica que a população precisa evitar entrar em contato com a água contaminada, especialmente em áreas alagadas e canais.

“A Secretaria de Saúde, através do departamento de vigilância em saúde da Sespa, solicita que a população tenha cuidado nesse período de chuvas. Várias doenças podem acontecer como: leptospirose, hepatite A, febre tifóide e algumas doenças relacionadas com o mosquito Aedes Aegypti como a dengue, Zika e Chikungunya, então a gente solicita que a população tenha cuidado, evite ter contato com essas águas das chuvas que na maioria das vezes estão contaminadas e a presença de água parada aumenta a proliferação do aedes”.

No entanto, se for muito necessário, entrar em contato com esse tipo de água, para limpar a casa ou recuperar objetos, é necessário se proteger, calçar botas de plástico impermeáveis e luvas e ficar alerta ao aparecimento de sintomas.

“Se tiver contato com água contaminada, fique em alerta com relação ao aparecimento de algum sintoma e procure a unidade de saúde mais próxima para ser acompanhado por algum profissional de saúde. E lembre-se: a automedicação não é indicada.” orienta a diretora.

Em 2020, no Estado do Pará foram notificados 1846 casos de dengue e 54 casos de leptospirose.

Saiba quais são as principais doenças transmitidas no período de chuvas:

Leptospirose

Doença bacteriana transmitida pela  urina dos ratos por meio do contato com água, solo ou alimentos contaminados. Febre alta, dor de cabeça, sangramento, dor muscular, calafrios, olhos vermelhos e vômitos são alguns sintomas. Sem tratamento, a leptospirose pode causar danos renais e hepáticos e até mesmo a morte. Os antibióticos combatem a infecção.

Febre tifóide

Doença bacteriana transmitida por alimentos e água contaminados ou contato próximo. Tem um alto índice de contaminação e mortalidade. Os sintomas incluem febre alta, dor de cabeça,  diarreia e vômito, podendo causar problemas no coração, no baço e até erupções cutâneas. O tratamento inclui o uso de antibióticos e a ingestão de líquidos.

Micoses

A proliferação de fungos em ambientes abafados e úmidos podem levar a diversos problemas e, dentre eles, a micose. Os fungos podem ultrapassar a camada da pele e causar uma infecção local que pode se espalhar para tecidos, ossos e órgãos ou afetar todo o corpo. Os sintomas dependem da área afetada, mas podem incluir coceira, manchas vermelhas, erupções cutâneas e ardor. Os tratamentos incluem medicamentos antifúngicos.

Viroses

Viroses são todas as doenças que têm como causador um vírus. São as doenças mais comuns no mundo e as que mais levam pessoas aos serviços de pronto atendimento. Apresentam sintomas bastante comuns, como febre, diarreia, dores nas articulações, dor de cabeça e vômito. Apesar de durarem apenas alguns dias, as viroses precisam de atenção pois causam desidratação e são muito comuns em épocas chuvosas, quando o tempo fica mais abafado ou as águas ficam contaminadas.

Dengue

Doença viral transmitida por mosquitos que ocorre em áreas tropicais e subtropicais. Os sintomas são febre alta, erupções cutâneas e dores musculares e articulares. Em casos graves, há hemorragia intensa e choque hemorrágico, o que pode ser fatal. O tratamento inclui ingestão de líquidos e analgésicos. Os casos graves exigem cuidados hospitalares. É preciso estar atento, pois em áreas com água acumulada, suas chances de proliferação aumentam, tornando-se um risco ainda maior para as pessoas.

Prevenção

– Evite entrar em contato com água contaminada;

– Certifique-se de que a sua casa está livre de regiões com água acumulada e parada;

– Lave bem os alimentos e objetos da sua casa;

– Capriche na ingestão de água e alimentos que ajudam na hidratação, como frutas.

Reprodução: SECOM/Agência Pará

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.