Santarém: Coordenadores da Divisão de Vigilância em Saúde e Sanitária pedem exoneração após abertura de investigação por denúncia de desvio da vacina contra Covid-19

João Alberto Coelho, que atuava como coordenador da Divisão de Vigilância em Saúde, e Walter Matos, que coordenava a Divisão de Vigilância Sanitária, foram desligados de suas funções na sexta-feira (29), após abertura de investigação motivada por denúncias de desrespeito ao Plano Nacional de Imunização, que define a ordem de prioridade para a população receber as vacinas.

Walter Matos confirmou que teria passado a vacina a que tinha direito, por ser um trabalhador da saúde, para a mãe. O ex-servidor pediu exoneração, mas afirmou que não considera ter feito algo errado porque a mãe é idosa e tem comorbidades e, segundo ele, abriu mão da dose a que tinha direito, por isso ninguém teria sido prejudicado.

 Ele poderá responder por crime funcional, por ter usado indevidamente o ofício contra disposição expressa de lei, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal.

A mãe do ex-servidor já teve câncer e atualmente faz tratamento de saúde porque é hipertensa e tem pancreatite, além disso, é cega e está acamada.

Já o médico veterinário João Alberto Coelho teria permitido que Walter Matos levasse a dose da vacina para imunizar a mãe.

A prefeitura de Santarém emitiu nota sobre as exonerações, informando que os dois pediram desligamento por motivos pessoais.

Imagem: Google Maps/Print

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.