Órgãos de segurança intensificam fiscalizações nos municípios paraenses que estão em lockdown

A última atualização do Decreto Estadual 800/2020, que mudou a classificação de risco da pandemia no Baixo Amazonas, entrou em vigor na segunda-feira (1º). Com a mudança, a região passou de bandeira vermelha, que significa alto risco de infecção, para a preta.

Na prática, a mudança significa que todos os 14 municípios paraenses que compõem o Baixo Amazonas, estão em lockdown. A população só pode sair de casa para desempenhar funções essenciais, como compra de alimentos ou medicamentos e atividades laborais que não podem ser interrompidas, como trabalhos ligados à saúde, abastecimento, alimentação, imprensa e transporte.

Para garantir que a medida seja cumprida, a fim de impedir o agravamento da pandemia, órgãos de segurança pública trabalham em conjunto para o cumprimento nas ruas fazendo fiscalizações.

Em Santarém, no primeiro dia de restrição, a Polícia Militar, em parceria com agentes da vigilância municipal, montaram cinco barreiras nas principais vias de acesso.

“Ainda teve um fluxo muito grande de pessoas, então pela manhã o trabalho foi mais de orientação. A parte da tarde já foi mais forte e hoje sentimos uma redução tímida da circulação”, informou o coronel Maués, responsável pelo Comando de Policiamento Regional – I (CPR-I), que cobre 13 municípios.

O decreto prevê a liberação de 65 serviços e atividades considerados essenciais e que permitem a circulação de pessoas com a devida comprovação. Em caso de irregularidades, a PM está autorizada a aplicar multas tanto para estabelecimentos comerciais quanto pessoas físicas.

Santarém tem mais de 300 mil habitantes, o maior município do oeste paraense, cujas características têm tido mais impacto com o lockdown. “É um comércio muito forte, empresas de serviços que já criam um fluxo considerável de pessoas transitando. Houve a redução em 50% do fornecimento de veículos de transporte coletivo que implicou em superlotação”, acrescentou o comandante.

Já em municípios menores, a população tem mais facilidade em aderir ao decreto. “Percebemos um controle e uma conscientização maior. Em Juruti, por exemplo, os estabelecimentos já estavam fechando às 15h, por determinação da prefeitura. Então depois desse horário a movimentação reduz”, disse o coronel Maués. 

O lockdown está em vigor para Alenquer, Almeirim, Belterra, Curuá, Faro, Juruti, Mojuí dos Campos, Monte Alegre, Óbidos, Oriximiná, Placas, Prainha, Santarém e Terra Santa.

“Além das barreiras, nós estamos trabalhando em conjunto com a Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Departamento de Trânsito do Estado (Detran) e Vigilância municipal nas áreas comerciais. No final de semana vamos atuar nas praias, orlas e praças para evitar a circulação”, adiantou o comandante.

O município de Oriximiná não havia iniciado a restrição, provocando manifestação do Ministério Público do Estado. A PM deve reforçar a fiscalização na cidade ainda nesta terça-feira (02).

Fonte e foto: Agência Pará

BAIXO AMAZONAS EM BANDEIRA PRETA: POPULAÇÃO DEVE RESPEITAR LOCKDOWN

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.