Municípios de Aveiro e Belterra cedem macas e 20 leitos emergenciais serão abertos no Hospital Municipal de Santarém

Santarém enfrenta colapso na saúde devido à crescente demanda por leitos para tratamento de pacientes com Covid-19. Atualmente, apenas a UPA realiza internações de pacientes infectados pelo novo coronavírus e os casos graves entram na fila de espera por uma vaga no Hospital Regional do Baixo Amazonas. No entanto, a quantidade de leitos ofertados deixou de ser suficiente. 

Como medida emergencial, o prefeito de Santarém determinou a abertura de uma ala com 20 leitos no Hospital Municipal até que o Hospital de Campanha, que foi prometido, seja ativado.

“Vamos agir de forma imediata e implantar 20 leitos exclusivos para receber pacientes de covid-19 no Hospital Municipal, numa área cuja entrada é pela avenida Presidente Vargas. Os pacientes serão transferidos da UPA 24 Horas para desafogá-la”, detalhou Nélio Aguiar, acrescentando que já estabeleceu contato com a direção da Unidade de saúde.

As prefeituras de Belterra e Aveiro se prontificaram a emprestar 20 macas com colchonetes para colaborar com a montagem dos leitos emergenciais no município de Santarém.

“Os 20 leitos serão necessários para o aguardo do Hospital de Campanha. A gente esbarra no fornecimento de equipamentos. A demanda é grande. Vários fornecedores não têm equipamentos para pronta entrega. A logística da Amazônia também é um fator que dificulta ainda mais. Não temos como esperar. Recebemos apoio dos prefeitos de Belterra e de Aveiro com 20 macas para o transporte dos pacientes”, informou o prefeito.

SAÚDE EM COLAPSO: VAGAS DE UTI NÃO SÃO SUFICIENTES PARA ATENDER A DEMANDA DE PACIENTES GRAVES EM SANTARÉM

Bandeira Preta

A região do Baixo Amazonas passou de zona vermelha para preta, que é a classificação de maior gravidade da pandemia e exige que a população fique em lockdown, o que significa que ninguém deve sair de casa para desempenhar atividades não essenciais.

A medida entrou em vigor na segunda-feira (1º). De acordo com o governador do estado do Pará, Helder Barbalho, a decisão foi baseada no aumento do número de internações por Covid-19 na região e pela confirmação de que há de que há uma cepa variante no novo coronavírus em circulação no município de Santarém. A variante é capaz de reinfectar pessoas que já pegaram a doença.

BAIXO AMAZONAS EM BANDEIRA PRETA: POPULAÇÃO DEVE RESPEITAR LOCKDOWN

GOVERNO CONFIRMA CIRCULAÇÃO DE VARIANTE DO NOVO CORONAVÍRUS NO PARÁ

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.