Retorno das aulas na Região do Baixo Amazonas está suspenso

Em concordância com a última atualização do Decreto Estadual 800/2020, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) determinou a suspensão do retorno das aulas escolares, que estava programado para quarta-feira (3).

A decisão se deve à atual situação epidemiológica da região, que está em bandeira preta, que é a classificação de maior risco da pandemia e exige que a população fique em lockdown.

Durante o período de vigência do decreto, não haverá nenhuma aula por meio de qualquer plataforma digital, bem como a retirada de conteúdos de aprendizagens, sejam eles cadernos de atividades estruturantes ou compêndios (impressos), nas unidades de ensino da rede estadual que estão situadas na área de abrangência do lockdown.

Esta medida visa resguardar a saúde de toda comunidade escolar, além de evitar a contaminação pela Covid-19. Ainda durante este período em que as atividades escolares estiverem suspensas, a 5ª, 6ª e 7ª Unidades Regionais de Ensino (UREs), situadas em Santarém, Monte Alegre e Óbidos, respectivamente, organizam, por meio de ferramentas digitais, o planejamento para o retorno das aulas, além de realizar oficinas para elaboração dos cadernos de atividades que serão distribuídos aos estudantes.

De acordo com a titular da Secretaria Adjunta de Ensino (Saen), Regina Pantoja, a decisão foi tomada para assegurar o processo de ensino-aprendizagem dos alunos na região, para que não houvesse nenhum prejuízo à saúde de todos, na carga horária escolar, bem como nos conteúdos de estudos do ano letivo de 2021.

“As aulas e atividades escolares não presenciais, sofreram alterações em seu período de realização na Região do Baixo Amazonas em decorrência do decreto de lockdown. Apesar dessa determinação, o calendário letivo 2021, aprovado pelo Conselho Estadual de Educação (CEE), assegura uma margem de 32 dias a mais do que estava previsto na Lei de Diretrizes de Base (LDB). Com relação ao atendimento dos alunos, estes devem aguardar o período em que as aulas e as atividades escolares não presenciais estejam disponíveis nas unidades de ensino, assim que este momento de restrições encerrar”, destacou a secretária adjunta de Ensino da Seduc.

A diretora de Educação Básica da Seduc, Regina Celli Alves, frisou que o diálogo com os gestores das UREs e escolas da rede estadual na Região do Baixo Amazonas é constante, além de ressaltar que o planejamento educacional está sendo aprimorado a todo momento, para que os alunos possam ter um processo de ensino adequado após o encerramento do Decreto Estadual.

MUNICÍPIOS EM LOCKDOWN

Até o dia 15 de fevereiro, 14 municípios situados na Região do Baixo Amazonas, terão restrições mais severas, com o intuito de frear a nova curva de contaminação pela Covid-19, são eles: Alenquer, Almeirim, Belterra, Curuá, Faro, Juruti, Mojuí dos Campos, Monte Alegre, Óbidos, Oriximiná, Placas, Prainha, Santarém e Terra Santa.

De acordo com o Instituto Evandro Chagas, foram identificados no dia 29 de janeiro, dois casos de pacientes infectados pela nova cepa da Covid-19, em Santarém, oeste paraense, o que fez com que o Governo do Estado adotasse medidas restritivas na localidade, para evitar a propagação do vírus. Ainda de acordo com a instituição de saúde, esta nova variante que circula no município, é a mesma identificada no Amazonas, apontada como uma das razões para o colapso no sistema de saúde do estado vizinho.

Fonte: Vinícius Leal/Ascom Seduc. Foto: Agência Pará

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.