Média de isolamento social está abaixo de 50% nos municípios do Baixo Amazonas

A Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) realiza o monitoramento diário do índice de isolamento social na região do Baixo Amazonas, que está em lockdown desde o dia 1º de fevereiro. De acordo com os dados, a média do índice de isolamento está abaixo de 50%.

O levantamento se refere ao período de 2 a 9 de fevereiro, quando a média de isolamento estava em 46,20%, segundo a Segup.

As medidas mais restritivas entraram em vigor com a atualização do Decreto 800/2020, que determinou a suspensão dos serviços não essenciais e o confinamento da população, exceto em situações justificáveis, para controlar o avanço da pandemia.

A região do Baixo Amazonas passou de bandeira vermelha para preta, que é a classificação de risco de maior gravidade da pandemia, devido ao aumento acelerado de novas infecções e internações, que levou à superlotação do sistema de saúde em parte desses municípios.

O município que mais respeitou o isolamento social foi Prainha, com 57,26% das pessoas em casa, e o município que menos cumpriu a restrição foi Óbidos, com 38,9%. Os demais municípios em lockdown e seus percentuais de isolamento são: Placas (55,70%), Belterra (49,96), Santarém (48,5%), Alenquer (45,99%), Curuá (45,48%), Monte Alegre (42,63%), Juruti (42,48%), Almeirim (42,20%) e Oriximiná (40,35%). Os dados são fornecidos por meio de parceria entre a Segup e a empresa Inloco. Em decorrência da ausência de suporte técnico, a plataforma não informa os índices nos municípios de Faro e Mojuí dos Campos.

Agentes de segurança pública estão empenhados para garantir que a ordem do decreto seja obedecida. Barreiras de fiscalização são montadas em pontos estratégicos, permitindo a passagem somente após a comprovação da necessidade de deslocamento.

“Os agentes estão trabalhando não somente na fiscalização na região Oeste, mas também na fiscalização da divisa do Estado do Pará com o Amazonas, onde há proibição do tráfego de embarcações e passageiros, como também fazendo cumprir o lockdown, em especial na Calha Norte e no Baixo Amazonas, atingindo 14 municípios. Em razão disso, é fundamental o trabalho dos agentes de segurança para fiscalizar e fazer cumprir o decreto, para que a gente possa passar o mais rápido possível por esse período. Também é importante a compreensão e a colaboração do momento que se vive, especialmente nessa região, a fim de que possa, progressivamente, sair do bandeiramento preto para o mais flexível das atividades”, afirmou o secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, Ualame Machado.

Quem for pego infringindo as normas estabelecidas pode sofrer desde advertência até multas, de maneira progressiva. A multa é diária, de até R$ 50 mil para pessoas jurídicas, a ser duplicada a cada reincidência, e R$ 150,00 para pessoas físicas – Microempreendedor Individual (MEI), Microempresa (ME) e Empresa de Pequeno Porte (EPP), a ser duplicada a cada reincidência, além de embargo e/ou interdição do estabelecimento.

Fonte e fotos: Agência Pará

Baixo Amazonas em Bandeira Preta: População deve respeitar Lockdown

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.