Pandemia contribui para aumento de casos de violência contra mulher

As medidas restritivas, tão necessárias para o enfrentamento à pandemia, tem causado um efeito colateral nas estatísticas de feminicídio e violência doméstica. 

O isolamento social deixa ainda mais expostas as mulheres que vivem com companheiros violentos.

No comparativo de janeiro a dezembro de 2019 com o mesmo período de 2020, é possível identificar um crescimento significativo nos índices desse tipo de violência. De acordo com a coordenadora do Centro de Referência Especializado de Atendimento à Mulher em Santarém, Poliana Braga, em 2019 foram realizados 2.131 atendimentos e no ano seguinte esse número subiu para 3.501. São 1.370  ocorrências a mais que o registrado no ano sem pandemia. 

O Centro Maria do Pará vem acompanhando a situação e realiza a chamada Busca Ativa, que é ir até as mulheres vítimas. De acordo com os registros, foram realizadas 11 buscas ativas em 2019 e 1.080 no ano seguinte. Já de janeiro a até a data de publicação desta matéria, 13 de fevereiro, foram contabilizadas 392 buscas.

O lockdown, atualmente em vigor no Baixo Amazonas, também fez aumentar o número de chamados pelo atendimento remoto por vítimas de violência doméstica.

Em 2020 foram registradas 261 ocorrências e de janeiro até este sábado (13), 181 atendimentos já foram registrados. “Nesse período, as mulheres e seus companheiros ficam mais em casa, o que tem potencializado essa situação de violência”, observou Poliana.

A coordenadora destaca que os atendimentos no Centro continuam de segunda a sexta-feira das 8h00 às 16h00.

A principal queixa, segundo a coordenadora, é violência psicológica (humilhações, ameaças, intimidação e controle de saída),  em seguida vem a violência moral (calúnia, difamação, injúria, exposição da vida íntima). “O que observamos é que as mulheres estão buscando orientações quando percebem os sinais das primeiras violações de direitos e isso é importante, a fim de evitar violências maiores e irreversíveis”, avaliou. 

Para denúncias, o telefone do Centro Maria do Pará é (93) 99134-8542.

Foto: Agência Pará

CRESCE NÚMERO DE FEMINICÍDIOS NO PARÁ

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.