Santarém: Vagas de UTI não suficientes para absorver a demanda de pacientes em estado grave

Ao todo, o sistema público de saúde de Santarém disponibiliza 54 Unidades de Terapia Intensiva para tratamento exclusivo de pacientes com covid-19, no entanto, de acordo com a atualização mais recente do boletim que monitora os números da pandemia na cidade, 50 leitos já estão ocupados e o número de pessoas que aguardam na fila de espera ultrapassa o número de vagas disponíveis.

No momento, a rede hospitalar possui apenas quatro vagas de UTI para pacientes com covid-19 em estado grave, no entanto, há 10 pacientes aguardando por um leito na fila de espera. Isso significa que pelo menos seis pessoas podem não ter acesso ao tratamento apropriado a tempo. 

A falta de leitos adequados reduz as chances de sobrevivência de pessoas que poderiam se curar, se tivessem acesso ao tratamento a tempo.

O sistema público local de saúde tem funcionado com lotação no limite ou acima da capacidade desde o início do mês de fevereiro e os leitos disponíveis de terapia intensiva já não são suficientes para absorver a demanda, que continua a crescer.

A escassez de leitos de UTI está ligada com o número de mortes na cidade. Na atualização mais recente do boletim da pandemia, a prefeitura informou que 17 pessoas morreram com sintomas da covid-19. Os óbitos ainda não entraram nos registros oficiais porque os resultados dos exames ainda não saíram. Mas o número oficial de vítimas fatais da doença em Santarém já chega a 572. As últimas três mortes adicionadas são de dois homens de 54 e 70 anos e de uma mulher de 89 anos.

Leitos clínicos

Recentemente o município e o estado abriram novos leitos clínicos emergenciais para regular o atendimento na UPA, que chegou a operar com superlotação de leitos clínicos.

Atualmente existem 153 leitos clínicos exclusivos para covid-19 em Santarém, de acordo com a prefeitura. Desse total, 127 estão ocupados, o que significa que a taxa de ocupação de leitos clínicos na cidade está em 83%.

Foto: Agência Pará

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.