Ações de combate à Covid-19 são realizadas nos territórios indígenas Araweté e Kararaô

Durante o mês de fevereiro, 18 aldeias da etnia Araweté e quatro da etnia Kayapó receberam atendimentos de saúde dos profissionais da policlínica itinerante, que esteve nos territórios indígenas Araweté, localizados no município de Altamira, oeste do Pará.

A equipe foi composta por enfermeiros, farmacêuticos, biomédicos, técnicos em enfermagem e médicos. Uma das diretrizes é respeitar as especificidades culturais e metodologias diferenciadas, conforme a organização de cada aldeia e etnia.

O objetivo foi atender aos indígenas com suspeita de Covid-19 e realizar ainda atendimentos médicos e exames laboratoriais.

A ação é uma iniciativa da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), por meio da Coordenação de Saúde Indígena e Populações Tradicionais (CESIPT), em parceria com o Distrito Sanitário Especial Indígena, Secretaria de Saúde do Município de Altamira e Universidade Federal do Pará (UFPA).

, disse que o trabalho colaborativo entre Estado e Município é fundamental para garantir assistência aos povos indígenas. “Essa parceria entre as instituições se torna muito importante, pois assim conseguimos dialogar e fomentar políticas públicas de saúde diferenciadas aos povos indígenas do Pará”, ressaltou Eliene Rodrigues Putira Sacuena, biomédica e técnica da CESIPT, que também é indígena.

Fonte: Melina Marcelino/SESPA e foto: Agência Pará/Divulgação

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.