Adepará fiscaliza psicultura no Baixo Amazonas 

A Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará) realizou inspeção, vigilância epidemiológica e cadastramento de exploração pecuária de piscicultura e laboratório de reprodução de piscicultura no município de Alenquer.

A ação faz parte do Programa Nacional de Sanidade de Animais Aquáticos de Cultivo – “Aquicultura com Sanidade”, do Ministério da Pesca e Aquicultura, conforme Instrução Normativa nº 4, de 4 de fevereiro de 2015.

O Programa Estadual de Sanidade dos Organismos Aquáticos da Adepará tem como objetivo garantir a sustentabilidade dos sistemas de produção de animais aquáticos e a sanidade da matéria prima, obtida a partir dos cultivos paraenses.

“O ciclo produtivo deste estabelecimento aquícola compreende as fases de reprodução, larvicultura, cria e recria com grande potencial para executar a fase de engorda”, informa o Fiscal Estadual Agropecuário (FEA), Médico Veterinário André Reale, que realizou a ação.

A propriedade fiscalizada, fazenda Dona Anália, possui capacidade de produção anual de aproximadamente 3 milhões de alevinos. A propriedade possui em torno de 370 matrizes de peixe, sendo 250 fêmeas e 120 machos aproximadamente, e ambos pertencentes às espécies Tambaqui e Pirapitinga.

Para atingir a qualidade do programa, a Agência de Defesa promove ações de cadastramento, vigilância epidemiológica, rastreabilidade do trânsito animal, educação sanitária, entre outras ações. Todo esse trabalho de defesa animal é necessário para garantir a prevenção, o controle e a erradicação de doenças nos sistemas de produção de animais aquáticos, contribuindo para o aumento da produtividade e, consequentemente, da oferta de pescado para o abastecimento do mercado interno e externo.

A propriedade rural fiscalizada apresenta vários viveiros escavados com Sistema de Produção semi fechado e abastecimento por tubulação. “A estrutura física do Laboratório de Reprodução está de acordo com os princípios de sanidade e seu funcionamento conta com sistema de filtração da água, incubadoras de fluxo ascendente para ovo de peixes e tanques de reprodução (caixas d’água)”, avaliou o fiscal da Adepará.

A fazenda possui o primeiro e único laboratório de reprodução da Região Calha Norte paraense sendo que esta abriga nove municípios, que são Alenquer, Almeirim, Curuá, Faro, Monte Alegre, Óbidos, Oriximiná, Prainha e Terra Santa (IBGE, 2010).

O produtor Adalberto Pires, proprietário da fazenda, está entusiasmado com o mercado e diz sempre focar na qualidade e sanidade do seu plantel. “Esse serviço de cadastramento, atualização cadastral e vigilância epidemiologia realizado pela Adepará é de fundamental importância para sanidade e rastreabilidade desses alevinos ali produzidos”, considera o produtor.

Para ele, a produção intensiva anda colada com a nutrição e sanidade animal, por isso todos cuidados no manejo, desde a preparação das matrizes até a venda dos alevinos é garatida.

Fonte: Manuela Viana/ADEPARÁ. Fotos: André Reale/ADEPARÁ.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.