Com permissões falsas para viagem, navio que seguia de Manaus para Santarém é interceptado em Juruti

Passageiros que precisam se deslocar do Amazonas para o Pará devem possuir um documento de permissão emitido pela Vigilância Sanitária de Santarém e um teste negativo para covid-19. A medida tem o objetivo de conter o avanço da pandemia do novo coronavírus.

Mas no sábado (21), a Polícia Militar flagrou um esquema de falsificação de permissões, durante uma fiscalização no município de Juruti. No navio Golfinho do Mar II, que saiu de Manaus, no Amazonas, com destino a Santarém, Pará, a polícia encontrou 50 permissões falsas. O crime foi constatado devido a numeração dos documentos, que tinha o mesmo final.

Como as permissões não têm validade legal, a embarcação foi impedida de seguir viagem. Os passageiros alegaram que foram orientados pelo comandante da embarcação a fazer apenas o teste de covid porque o documento ficaria por conta da empresa.

Sem dinheiro para voltar para o Amazonas e sem poder seguir viagem até Santarém, os passageiros estão em Juruti e denunciam não estar recebendo auxílio algum da empresa. Já o comandante da embarcação foi apresentado à Delegacia de Polícia Civil para prestar esclarecimentos.

O Portal P5 abre espaço para a empresa citada na reportagem se pronunciar sobre o caso.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.