Feira do Pescado vai ocorrer em oito pontos de Santarém e em Mojuí dos Campos

Nesta terça-feira (23) ocorreu uma reunião entre Cooperativa dos Piscicultores do Tapajós, Secretaria de Agricultura e Pesca (Semap) e Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap). A pauta foi o abastecimento de pescado em Santarém durante a semana santa, período em que os cristãos substituem a carne da refeição pelo peixe, conforme a tradição católica.

O objetivo é definir a logística de distribuição do pescado, assegurar o abastecimento e evitar o aumento exagerado dos preços.

A Feira do Pescado vai ocorrer de 31 de março a 1º de abril em oito pontos diferentes de Santarém e no município de Mojuí dos Campos. Neste ano, estima-se que aproximadamente 30 toneladas de pescado resfriado serão comercializadas por seis produtores que fazem parte da Cooperativa dos Piscicultores do Tapajós.

O produto estará disponível aos clientes com preços de R$12,00 a R$15,00 de acordo com a espécie e peso. As espécies ofertadas aos consumidores serão: tambaqui, tambatinga, pirapitinga, curimatã, aracu, matrinxã e pirarucu.

“Sem dúvidas a feira terá a função de agir como um regulador, que servirá de referência para a própria população. Às vezes o mercado quer aproveitar o impulso no consumo para aumentar os preços e obter ganhos adicionais”, explicou o gerente Regional da Secretaria de Desenvolvimento de Agropecuária e da Pesca do Estado, Alisson Castro.

Ainda de acordo com o gerente, por causa da pandemia e para evitar a aglomeração de pessoas nos pontos de vendas, serão adotadas algumas medidas de prevenção. “Pedimos aos piscicultores que irão comercializar o pescado para organizar os clientes quando chegarem, com filas separadas, para evitar possíveis contágios e aglomeração de pessoas. Além disso, será obrigatório o uso de máscaras de proteção com a devida cobertura sobre o nariz e a boca e demais equipamentos de proteção individual que forem necessários”, finalizou.

Em Mojuí dos Campos o ponto funcionará na praça central, já em Santarém a venda ocorrerá nos seguintes locais:

  •       Mercadão 2000;
  •       Parque da cidade;
  •       Feira da Cohab;
  •       Mercado Nova República (Tancredo Neves);
  •       Porto dos Milagres;
  •       Primeira Rotatória da Fernando Guilhon (Sentido centro bairro);
  •       Estacionamento do Estádio Colosso do Tapajós
  •       Rodovia Everaldo Martins KM 19 – Comunidade São Pedro

 A piscicultora Vilma da Silva destaca a importância da Semana Santa para os produtores da região. “A ação em si alavanca as vendas, faz o comércio girar e, consequentemente, melhora a nossa economia. A nossa expectativa é que mesmo com a pandemia consigamos vender todo o nosso pescado, já que é um período muito esperado por piscicultores que ficam ansiosos pela data religiosa, pois as vendas multiplicam.”

Para possibilitar as vendas, a Semap dará suporte com a logística das caixas d’água nos dois dias de evento. “A Prefeitura e demais parceiros se empenham para realizar a Semana do Pescado. É um evento que melhora muito a economia local, estimula a produção do pescado no município e na região, e fomenta a cadeia produtiva”, ponderou o Engenheiro Paulo Canto.

Foto: Ascom/Prefeitura de Santarém

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.