Rurópolis entra em estado de emergência devido às fortes chuvas

A medida, que vale por 180 dias, vai prestar auxílio às mais de duas mil famílias das zonas urbana e rural do município de Rurópolis. As fortes chuvas na região sudoeste do Estado levaram o Governo do Pará a estabelecer estado de emergência no município, conforme decreto nº 1.461, publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) desta quarta-feira (14).

“A importância do estado de emergência é para dar ciência a todas as autoridades do momento difícil que o município está passando. Dessa maneira, ele tem uma resposta imediata quando começa a passar por esse tipo de situação, então o Governo do Estado e o Governo Federal podem executar ações em auxílio à cidade”, explica Miguel Neto, coordenador da Defesa Civil do Consórcio Tapajós.

De acordo com o major Celso dos Santos Piquet Júnior, comandante do 7º Grupamento Bombeiro Militar (GBM) de Itaituba, o estado de emergência garante a segurança da população, diante da ocorrência de cheias, enxurradas, desabamentos de pontes e destruição de casas.

“As áreas afetadas em Rurópolis são tanto áreas rurais quanto urbanas, e essa situação se dá por conta do nosso inverno amazônico, com chuvas torrenciais nesse período. Como o solo já está saturado das chuvas, vai gerando uma elevação gradual do nível das águas na região, seja do rio Iriri, um afluente do Xingu, e dos outros afluentes dos rios Tapajós ou Amazonas”, explica o comandante.

Apesar da situação ser preocupante, o comandante explica que ainda não há necessidade de retirar as mais de duas mil famílias afetadas, tanto na zona urbana quanto na zona rural do município. “Ainda não houve a necessidade de retirar as pessoas das moradias, e nós também enfrentamos uma certa resistência da população em deixar os imóveis. Nosso trabalho é orientar a Defesa Civil do município e verificar as questões técnicas que envolvem a situação, assim, encaminhar para a CEDEC, em Belém, para a tomada de medidas necessárias. No momento não há risco de desabamento porque nós já estamos acompanhando o caso e entregamos relatório às autoridades exatamente para evitar agravamento da situação ”, informa.

A situação de emergência abrange as seguintes áreas na zona rural: Vicinal Monte de Ouro, Vicinal Cachoeira, Vicinal Caximbão, Vicinal Monteiro Lobato, Vicinal Baiano, Vicinal Km 100 Sul, Vicinal Km 40 Norte, Vicinal Km 65 Sul, Vicinal Km 45 Norte, Vicinal KM Km 60 Sul, Vicinal Km 60 Norte; e área urbana nos bairros: Leitoso, Serraria, Arroz, Bela Vista, Vila Nova, Bom Jardim, Alvorada, Lagoa e Planalto.

Com a publicação do Decreto, fica autorizada a mobilização de todos os órgãos municipais para atuarem sob a coordenação da Coordenadoria Municipal da Defesa Civil nas ações de resposta ao desastre e reabilitação do cenário e reconstrução, bem como a convocação de voluntários para reforçar ações de resposta ao desastre e realização de campanhas para arrecadação de recursos junto à comunidade.

Fonte: Bruno Magno (CPH) e foto: Divulgção

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.