Baixo Amazonas em Bandeira Laranja: Santarém afrouxa regras sanitárias

O Governo do Pará mudou a classificação de risco das regiões do Baixo Amazonas e Tapajós, que passaram da bandeira vermelha para a laranja. O anúncio foi feito por Helder Barbalho, que justificou que um dos critérios observados foi a baixa taxa de ocupação de leitos, no entanto, a taxa de ocupação dos leitos de UTI em Santarém está em 95,31%, segundo o boletim da covid-19.

A região estava na bandeira vermelha desde janeiro deste ano e chegou a ter a bandeira preta decretada, que é a classificação mais grave da pandemia,  mas voltou à classificação vermelha depois de passar um período em lockdown.

Santarém

Com a mudança de bandeira, o Comitê de Crise para enfrentamento da pandemia no município reuniu afrouxou as regras sanitárias de enfrentamento da pandemia. O novo Decreto Municipal 793/2021 passa a valer a partir deste sábado (17).

Ele libera o acesso a praias, igarapés, balneários e similares, mas mantém proibidas as excursões, passeios ou similares.

O Decreto também autoriza o acesso ao Parque da Cidade, campos de futebol, quadras, ginásios, academias públicas, centros de convivência e quaisquer outros espaços públicos.

Com a nova regra, os treinamentos, competições, campeonatos e similares dos times de futebol profissional e amador estão autorizados, desde que não haja público.

Academias de Ginástica, Musculação, Crossfit, Funcionais, Estúdios de Pilates, Danças e Natação e Academias de Artes Marciais também estão autorizadas a funcionar, desde que adotem as medidas de segurança, desde que seja respeitado a capacidade máxima de 50% do limite total do espaço. 

Já os restaurantes, lanchonetes, bares, conveniências e Food Trucks estão autorizados a funcionar segundo seus respectivos alvarás de funcionamento, porém, os alimentos não podem ser servidos na modalidade self service.

Praças de alimentação no interior dos Shoppings Centers, em horário de funcionamento, também podem funcionar, porém “música ao vivo” e a utilização de pista de dança ou similar permanecem proibidas, assim como eventos sociais, boates, casas de shows, casas noturnas ou similares e a realização de eventos, reuniões, manifestações, passeatas de qualquer natureza, com audiência superior a 10 pessoas.

Foto: Rafael Aguiar/Rota

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.