Macaca aranha criada como animal doméstico é transferida para zoológico de Santarém

Um macaco-aranha de cara vermelha, criado como animal doméstico por uma família da zona rural de Alenquer, foi resgatado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente daquele município na terça-feira passada (27) e ontem (segunda,03) desembarcou em Santarém, onde foi levado para o zoológico da cidade.

O animal, de aproximadamente 5 anos, é uma fêmea e foi batizado de Anita pela família, que vive em uma localidade conhecida como Maicuru, há 100 km da zona urbana de Alenquer.

‘Anita’ foi resgatada ainda filhote após a mãe ter sido morta por caçadores. A macaca vivia em uma gaiola e tinha até uma rede para dormir. No entanto, em casos como esse, o correto é comunicar órgãos ambientes de proteção, já que se trata de um animal silvestre.

“Caçadores mataram a mãe e o senhor que a resgatou, vendo que ela estava sendo maltratada, acabou comprando por cinquenta reais para cuidar. No início ele cuidava na zona rural, depois ele transportou para a zona urbana e cuidava muito bem do animal”, informou o chefe de fiscalização da Sema/Alenquer, Adilson Bentes.

A macaca foi descoberta pelos agentes de fiscalização da Sema através de denúncias anônimas. O animal foi transportado em uma balsa de Alenquer até Santarém com o acompanhamento de uma bióloga.

“A legislação ambiental preconiza que ter o animal em cativeiro é uma infração ambiental. Ressaltamos que para ter o animal em casa, em cativeiro, é preciso ter um criadouro legalizado”, ressaltou o agente ambiental da Semma de Santarém, Arlen Lemos.

No zoológico, Anita foi colocada no espaço que abriga outras três macacas da mesma espécie e passará por avaliações veterinárias e processo de adaptação para soltura.

Foto: Ascom/Prefeitura de Santarém

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.