Academias podem se tornar ‘serviço essencial’. Projeto de Lei foi aprovado na Câmara de Santarém

O Projeto de Lei que classifica academias como ‘serviço essencial’ foi aprovado nesta segunda-feira (17) na Câmara dos Vereadores de Santarém, mas ainda depende da sanção do prefeito Nélio Aguiar para se tornar Lei.

O autor do Projeto é o vereador Erasmo Maia. Ele justificou que há mais de 80 estabelecimentos que atuam na área em Santarém e as academias ajudam a fortalecer a economia local e são fonte de renda de muitos profissionais da educação física.

Entenda a discussão

Ser considerada uma ‘atividade essencial’ nunca foi tão importante para os empresários como está sendo atualmente, devido às medidas restritivas adotadas pelos governos para frear o avanço da pandemia da covid-19.

Atividades não essenciais devem fechar as portas ou limitar funcionamento quando a classificação sanitária das cidades indica risco considerado de contaminação, o que significa que empresas não essenciais sofrem um impacto econômico muito maior que estabelecimentos considerados essenciais, que é o caso de empresas ligadas à saúde, alimentação e transporte.

Atualmente em Santarém as academias estão autorizadas a funcionar porque a região do baixo Amazonas está em ‘bandeira amarela’, que significa risco intermediário de contágio, mas os empresários foram obrigados a fechar algumas vezes desde que o primeiro caso de covid-19 foi registrado no Pará, em 2020.

Se o projeto for sancionado, academias poderão funcionar em Santarém, mesmo que a cidade venha a enfrentar um novo pico de casos de covid-19, o que certamente agrada a classe empresária do ramo, mas o prefeito de Santarém, que também é médico, deve considerar a avaliação dos profissionais da saúde antes de tomar a decisão.

Foto: Ag. Pará

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.