Após 5 meses atendendo exclusivamente casos de Covid-19, UPA 24 horas anuncia reabertura gradativa em Santarém

A partir desta sexta-feira (18), vai reabrir a Unidade de Pronto Atendimento para outras demandas que não sejam covid-19. A medida ocorre após 5 meses de dedicação exclusiva da Unidade no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus, onde atua como referência para casos positivos e suspeitos da doença.

A decisão, comunicada ao Ministério Público e ao Conselho Municipal de Saúde, foi tomada mediante após relatório do Núcleo de Média e Alta Complexidade da SEMSA, que analisou os últimos dados epidemiológicos no município. O estudo aponta que desde o mês de abril houve queda na ocupação de leitos da UPA, demonstrando estabilidade.

“Fizemos a análise dos dados epidemiológicos e diante da estabilidade de casos e dos índices de internação referentes a covid-19, decidimos pela reabertura da UPA 24 horas que gradativamente vai absorvendo o pacientes de pronto atendimento para desafogar o Hospital Municipal, que vem sofrendo superlotação”, ressalta Vânia Portela, titular da Semsa.

No mês de junho, a média de pacientes internados é de 11 pacientes/dia na UPA e a média de atendimento do Hospital Municipal de Santarém (HMS) se dá em torno de 198 pacientes/dia.

Outro fator analisado é que o HMS absorveu toda a demanda de Pronto Atendimento e não suporta mais atender a quantidade de casos crescentes, não só de Santarém, como de outros 20 municípios da região do Baixo Amazonas e Tapajós, convivendo constantemente com a superlotação.

Agora, a UPA continua atendendo pacientes adultos e crianças com Sindromes Gripais e passa a receber pessoas com outras doenças. A unidade deve prestar atendimento resolutivo e qualificado aos pacientes com quadros agudos de natureza clínica e pediátrica, entre elas de doenças do sistema digestivo e respiratórias . E o HMS absorve somente urgências e emergências de traumas, cirúrgicas, neurológicas e clínico cirúrgica. “Nos últimos três meses, o Hospital Municipal recebeu mais de 22 mil atendimentos, um número acima da capacidade da Unidade. O retorno do fluxo de atendimento na UPA vai ajudar a melhorar as condições de acolhimento”, disse a diretora geral do Hospital, Christiani Shuartz.

A SEMSA ressalta ainda que apesar da reabertura vai manter uma ala dedicada aos pacientes com síndrome respiratória aguda, permanecendo 02 isolamentos com entrada exclusiva para esses atendimentos para que não ocorra a infecção cruzada. A Unidade Descentralizada Paulo Freire permanece de segunda a sábado não havendo nenhuma paralisação do serviço.

Foto: Ascom Instituto Social Mais Saúde

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.